Perguntas Para o Teste de Geografia

Quais são as características que diferenciam espaço rural de espaço urbano?

As características que diferenciam espaço rural de espaço urbano são ao nível da ocupação do solo, das actividades económicas dominantes, da concentração populacional, da dinâmica populacional, das deslocações diárias e das acessibilidades. A ocupação do solo no espaço urbano é composta por áreas residenciais, pelo comércio e serviços, pela indústria, pelos equipamentos sociais e culturais e pelas infra-estruturas de transporte, já no espaço rural a ocupação do solo é feita pela agricultura, pela pecuária e pela floresta. As actividade económicas dominantes no espaço urbano são o sector secundário e terciário, no espaço rural é o sector primário. A dinâmica populacional no espaço urbano é de áreas em crescimento demográfico e com forte atracção populacional: motores de crescimento, de competitividade e de emprego, no espaço rural as áreas estão com perda de população (êxodo rural) e mais envelhecida. A concentração populacional no espaço urbano é de uma população numerosa e de densidade elevada, há locais com população superior a 5000, no espaço rural a densidade populacional é fraca e com construções baixas e unifamiliares. As deslocações no espaço urbano são de movimentos pendulares muito intensos, no espaço rural são e fracas deslocações pendulares. Para terminar, o espaço urbano, quanto às acessibilidades, tem uma rede de transportes e de comunicações muito densa, o espaço rural tem redes de transporte e comunicações precárias e insuficientes.

Quais os critérios para definir cidade?

Para uma vila ser elevada à categoria de cidade tem de contabilizar um número de eleitores superior a 8000 (critério demográfico), tem de possuir, pelo menos, metade dos equipamentos colectivos, tais como hospitais, farmácias, bombeiros, centro de espectáculos, museu e biblioteca, hotéis, escolas, transportes públicos e os jardins e parques públicos (carácter funcional). Algumas cidades também resultam do reconhecimento dos serviços prestados ao país (critério jurídico-administrativo).

Quais os critérios para definir centro urbano?

Os centros urbanos são locais com população superior a 10000 habitantes ou com densidade superior a 1000 habitantes por Km2.

Quais são os vários tipos de morfologia urbana?

Os vários tipos de morfologia urbana são a planta irregular que é característica das cidades muçulmanas e medievais. As edificações mostram que a cidade com este tipo de planta, cresceu de forma desordenada: os edifícios estão construídos em cima uns dos outros, as ruas são muito estreitas, tortuosas e muitas vezes acabam em becos sem saída. A planta radioconcêntrica, comum na maioria das cidades europeias e, geralmente, tem a ver com uma função defensiva que remonta à Idade Média. São típicas de cidade que possuíam uma muralha defensiva e, à medida que a cidade ia crescendo, as muralhas iam sendo destruídas e substituídas por outras com um raio maior. E a planta ortogonal que apresenta um traçado geométrico muito regular, com ruas direitas e perpendiculares, formando entre elas ângulos rectos (de 900).  Este formato urbano está adaptado a áreas planas e sem limitações espaciais ao seu crescimento.

Qual a importância da rede de acessibilidades na organização do espaço urbano?

A cidade, enquanto espaço privilegiado de relações sociais, comerciais e laborais, assume-se como uma área de trocas e de movimentos. Nesta, os transportes e as vias de comunicação ganham particular relevo na resposta às necessidades de mobilidade e na distribuição dos usos do solo urbano. A necessidade de movimentação, inerente à própria natureza dos espaços urbanos, constitui a base para o seu desenvolvimento. Por essa razão, a acessibilidade, associada ao transporte, desperta lógicas especulativas, o que determina a especialização e/ou o aumento da densidade das ocupações.

Caracteriza as áreas funcionais do espaço urbano.

As áreas funcionais do espaço urbano são a baixa (ou CBD), a área residencial, a área industrial e a periferia ou subúrbio. O CBD é a área central de uma cidade, onde se concentra uma grande quantidade e diversificada de actividades terciárias e um vasto conjunto de funções raras. Também nesta área se localizam os escalões mais elevados da decisão, ao nível administrativo (ministérios, tribunais, governos regionais e municipais), ao nível económico (bolsas, sedes de bancos e companhias de seguros) e ao nível cultural (teatros, cinemas e museus). As áreas residenciais das aglomerações urbanas denotam uma segregação espacial. O parque habitacional é variado, desde as habitações de luxo, para as classes privilegiadas, até às habitações mais precárias para as classes desfavorecidas. A área industrial, numa primeira análise, parece não pertencer à cidade, mas a emergência de grandes aglomerações, sobretudo na Europa no século XIX esteve associada à localização industrial. As vantagens da localização industrial no interior do perímetro urbano foi evidente, na medida em que aí se localizava o mercado e todo um conjunto de serviços dos quais interessava beneficiar. As áreas periurbanas são áreas localizadas em territórios próximos dos aglomerados urbanos onde o espaço rural é ocupado por actividades e funções urbanas e industriais.

Relaciona a localização das diferentes funções urbanas com o valor do solo.

O preço dos terrenos urbanos diminui do centro para a periferia, logo o preço do solo na baixa ou no CBD é o mais caro, seguem-se as áreas residenciais e depois as indústrias, com a renda locativa mais baixa.

Explica o papel das actividades terciárias na organização do espaço urbano.

A terciarização substitui as funções pré-existentes (a indústria, a habitação e o pequeno comércio) por escritórios, bancos, consultórios e comércio de tipo diferente do que existia, mais voltado para a população empregada.

Explica a localização das novas formas de comércio e serviços.

Os super e hiper mercados localizam-se nas periferias das cidades, onde o preço do solo é mais barato e onde se localiza a população mais jovem, menos agarrada a hábitos e mais aberta à adopção de inovações.

Quais são os factores mais importantes no processo de diferenciação social?

Os factores mais importantes no processo de diferenciação social são os custos do solo, qualidade ambiental, enquadramento paisagístico, acessibilidade ao centro, proximidade de equipamentos, a segurança e tranquilidade.

Explica a diferenciação social das áreas residenciais.

As classes mais altas optam por habitações unifamiliares em áreas de elevada qualidade ambiental e paisagística. As classes mais baixas ocupam os antigos bairros residenciais nas imediações do centro histórico, bairros sociais e bairros clandestinos ou de lata que se situam em antigas lixeiras ou pedreiras desactivadas na fronteira entre concelhos. Apresenta problemas como a toxicodependência e a marginalidade. A classe média habita em urbanizações da periferia das cidades, prédios altos do tipo plurifamiliar.

~ por goncasrato em 01/19/2010.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: