Organização Interna das Cidades

A organização interna de uma cidade obedece a uma diversidade de factores:

  • Acessibilidade;
  • Distância ao centro.

A cidade, enquanto espaço privilegiado de relações sociais, comerciais e laborais, assume-se como uma área de trocas e de movimentos. Os transportes e as vias de comunicação têm grande importância neste espaço, pois são eles que respondem à necessidade de mobilidade e à distribuição dos usos do solo urbano.

Renda Locativa – Corresponde à maior ou menor valorização do preço do solo. Exemplos de factos que explicam essa variação:

  • Acessibilidade;
  • Grau de infra-estruturas;
  • Proximidade a equipamentos e funções importantes;
  • Valores paisagísticos e patrimoniais.

Central Business District (CBD)

É a área central de uma cidade, onde se concentra uma grande quantidade e diversidade de actividades terciárias e um vasto conjunto de funções raras. Também nesta área se localizam os escalões mais elevados da decisão, ao nível administrativo (ministérios, tribunais, governos regionais e municipais), ao nível económico (bolsas, sedes de bancos e companhias de seguros) e ao nível cultural (teatros, cinemas e museus).

O processo da terciarização – O processo de terciarização é a substituição das funções pré-existentes (indústria, habitação, pequeno comércio) por escritórios, bancos, consultórios e comércio de tipo diferente do que existia, mais voltado para a população empregada.

Apesar de toda a diversidade de actividades que caracterizam o CBD, estas não se misturam no espaço, verificando-se um:

  • Zonamento vertical – As funções menos nobres, ou as que não implicam o contacto com o público, localizam-se em andares superiores;
  • Zonamento horizontal – Presença de áreas especializadas em ruas principais e secundárias, tanto as áreas antigas das cidades como também nas novas áreas urbanizadas;

Características que definem a actual dinâmica dos CBD:

  • Valorização fundiária: Que aumenta a renda locativa, sobretudo se tratarem de áreas apetecíveis, afastando a função residencial;
  • Aumento do trânsito: Determina o congestionamento do centro e a consequente diminuição da acessibilidade relativa;

Com a sobreutilização do automóvel os CBD perderam importância. O congestionamento permanente e a dificuldade de estacionamento, impulsionaram à deslocalização das funções comerciais e de sedes de empresas e de serviços de administração.

A crise destas áreas central justifica-se:

  • Factores intrínsecos – incapacidade para responder às novas procuras comerciais, o congestionamento, a inércia dos actores instalados, a diminuição da população residente;
  • Factores externos – O aparecimento, na periferia, de novas formas de comércio concorrencial (centros comerciais) e de áreas de escritórios e serviços.

Definiu-se um conjunto de estratégias de revitalização das áreas centrais:

  • Criação de ruas e praças destinadas a peões;
  • A política de reabilitação urbana que potencie a afluência de turistas;
  • Um sistema de transportes mais eficiente;
  • Renovação do edificado e a atracção de novas actividades;
  • Implementação de programas de revitalização do comércio.

~ por goncasrato em 01/16/2010.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: